AdaptaBrasil: técnicos analisam dados para a expansão da plataforma

Etapa de avaliação dos dados sobre seguranças alimentar, hídrica e energética faz parte do processo antes de disponibilizar informações para os mais de cinco mil municípios brasileiros
Equipe do ApabtaBrasil
Equipe da AdaptaBrasil

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE/MCTI) realizam workshop, em São José dos Campos (SP), para discutir os resultados nacionais da plataforma AdaptaBrasil MCTI. A etapa de avaliação, que se encerra nesta sexta-feira (27), faz parte do processo de expansão da plataforma, que vai apresentar dados que subsidiam ações de adaptação à mudança do clima sobre todos os 5.568 municípios brasileiros e o Distrito Federal.

“Infelizmente, está muito claro hoje que os esforços em mitigação não serão suficientes para reduzir a trajetória de emissões de gases de efeito estufa a ponto de nos tornarmos isentos de impactos significativos para a sociedade, e precisaremos investir também em adaptação à mudança do clima. Nesse cenário, a plataforma AdaptaBrasil se apresenta como uma importante ferramenta, provocando e orientando uma reflexão não só em nível nacional, mas igualmente em nível subnacional, com base na melhor ciência disponível”, avalia o coordenador-geral de Ciência do Clima e Sustentabilidade (CGCL) do MCTI, Márcio Rojas.

A ferramenta consolida, integra e dissemina informações robustas e com embasamento técnico-científico que possibilitam o avanço das análises dos impactos da mudança do clima, a partir de eventos observados e de projeções climáticas para todo o território nacional. A plataforma disponibiliza um total de 85 indicadores associados a três áreas estratégicas, que são tratadas sob o conceito da segurança: hídrica, alimentar e energética.

Dessa forma a plataforma colabora para a disseminação do conhecimento por meio da análise de informações cada vez mais integradas e atualizadas sobre o clima e os riscos de impactos no Brasil, além de garantir a acessibilidade dos principais resultados aos tomadores de decisão em todos os níveis, bem como a pesquisadores, sociedade civil e o setor privado.

O encontro contou com a participação de pesquisadores da Divisão de Impactos, Adaptação e Vulnerabilidades (DIIAV) do INPE/MCTI,  servidores do MCTI, técnicos do Laboratório Cenergia, integrado ao Programa de Planejamento Energético (PPE) da COPPE/UFRJ, do Departamento de Endemias Samuel Pessoa (DENSP), integrado à Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ), da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH e WayCarbon, que são parceiros no desenvolvimento dos resultados dos setores estratégicos da plataforma.

“Este workshop foi uma oportunidade para compaginarmos questões importantes para a ciência e para a política pública, por meio de uma avaliação profunda do AdaptaBrasil MCTI, tanto das questões mais gerais, as grandes mensagens que a plataforma transmite, quanto para as questões mais específicas, pontos importantes que precisam receber atenção para que o Brasil lide melhor com os desafios postos pela mudança do clima”, detalha Rojas.

AdaptaBrasil MCTI

A plataforma é desenvolvida por meio de uma cooperação entre o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE/MCTI) e a Rede Nacional de Pesquisa e Ensino (RNP/MCTI), sendo fomentado pelo Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). A previsão é que os dados sobre todos os municípios estejam disponíveis a partir de outubro deste ano. Na primeira fase, já disponível para consulta, a ferramenta apresenta informações sobre a região do Semiárido, que engloba 1,262 mil municípios de 10 estados do país.

Acesse e conheça a plataforma: https://adaptabrasil.mcti.gov.br/

Publicação Original: AdaptaBrasil: técnicos analisam dados para a expansão da plataforma — Português (Brasil) (www.gov.br)

Mais Notícias sobre AdaptaBrasil MCTI

 A plataforma foi expandida e passa a abranger todo o território nacional, oferecendo informações técnico-científicas robustas para todos os 5.568 municípios brasileiros.
 A plataforma foi expandida e passa a abranger todo o território nacional, oferecendo informações técnico-científicas robustas para todos os 5.568 municípios brasileiros.
Foto: Wesley Sousa (ASCOM/SEAPC/MCTI)
Foto: Wesley Sousa (ASCOM/SEAPC/MCTI)